não foi perda, foi limpeza

Já reparaste o quão ficas triste por alguém que não queria mais estar na tua vida ter ido embora?

Não queria estar na tua vida, por isso foi embora. De livre vontade. E tu, mesmo assim, ficas triste. Chegas eventualmente ao ponto de implorar para que fique, mesmo sabendo tu que a pessoa quer ir embora.

Ou seja, dói-te mais que essa pessoa saia da tua vida do que fique nela contrariada.

Para e pensa. Quando alguém vai embora porque não quer ficar, ainda que tu queiras muito que fique, é algo bom. É algo positivo para ti, porque no fundo estás a arrumar a casa. Parecendo que não, a tua casa ficou mais limpa depois de ter saído uma pessoa que não tinha mais vontade de estar.

Por isso, em vez de lamentares a “perda” de alguém desta forma, olha antes para ela como uma espécie de limpeza. Ainda que doa, muito, foi para o teu bem. Pelo menos assim tu livraste-te de alguém que não queria estar e, por isso, não te fazia falta.

E se calhar por iniciativa tua não conseguias varrer a casa tão bem. Já imaginaste como seria se o lixo* decidisse sempre sair de casa de livre e espontânea vontade? Não seria incrível? Todo o mal tem um lado bom, nós é que nem sempre o conseguimos ver.

*A pessoa não é lixo só por ter saído da tua vida. Se achou que devia e era o que queria fez muito bem. É apenas uma analogia.