vem para o meu colo

Vem para o meu colo. Eu tomarei conta de ti. Deixa-me apertar-te contra o meu peito e libertar-te a ansiedade e o medo que sentes de viver. Sim, é medo. Não mais do que medo.

Vem para o meu colo que é aqui que a vida acontece. É aqui que queres estar. Não me digas que não, pois não irei acreditar. Sei que falto tanto em ti como tu faltas em mim. Prometo-te que entre o meus braços não sentirás nada mais do que uma vontade profunda de viver. No meu colo serás tu. Somente tu. Sem medos, complexos, pensamentos ou efeitos especiais.

Seremos apenas dois corpos repletos de amor, como se fosse a única coisa que nos segurasse de pé.

E é.

Do livro Todos os dias são para sempre